Museus e Arte

"Pallas e o Centauro", Sandro Botticelli - descrição da pintura


Pallas e o Centauro - Sandro Botticelli. 207 x 148 cm

Essa tela grande possui todas as características da imagem cerimonial. Para isso, um motivo mitológico e personagens foram usados ​​- a deusa guerreira Athena, chamada Pallas naqueles casos, quando era retratada em munição militar e com armas. O segundo personagem da imagem é um centauro, uma criatura mítica também originária de lendas gregas antigas, uma criatura selvagem do séquito de Dionísio, caracterizada por comportamento descontrolado e caráter selvagem. Isso é meio homem, meio cavalo, poderoso e indomável.

Um enredo muito interessante foi escolhido para a foto - Pallas segura um centauro adormecido por seus cabelos encaracolados e curvados, e ele humildemente inclina a cabeça, obedecendo seu poder incondicional. Aqui você pode ver o triunfo da razão e da civilização sobre a selvageria e o descontrole, que se encaixam bem nas tradições filosóficas do Renascimento.

No entanto, alguns pesquisadores acreditam que a pintura reflete a política do clã Medici que derrotou os conspiradores, que tentaram derrubá-los do trono florentino. Você também pode acreditar nisso, porque a tela foi encomendada ao mestre apenas sobre um importante casamento político.

Os dois personagens principais da imagem são retratados no cenário de uma paisagem distante, elevando-se acima de uma baía larga e profunda do mar. As margens montanhosas, levemente inclinadas e íngremes, a superfície calma e uniforme da água e até um pequeno barco com velas abaixadas, ancoradas longe da costa, são claramente visíveis. O local onde os heróis da imagem estão localizados é cercado de algum tipo de construção, como uma cerca ou uma paliçada de toras de luz raramente localizadas.

A parte lateral da tela é ocupada por um desenho estranho, que se assemelha a um antigo prédio em ruínas feito de pedra cinza escura ou a uma construção áspera esculpida em uma rocha. Ele não tem as formas e linhas corretas, mas essa não é uma formação natural. Obviamente, essa é uma dica da habitação primitiva de um centauro - uma criatura longe da alta civilização grega antiga.

De interesse é a superfície sob os pés dos personagens, ou melhor, sob os cascos de um centauro. Esta é uma densa camada de grama curta e escura, que parece ter falhado ou afundado sob o corpo maciço de uma criatura mítica. As margens da terra são claramente visíveis contra um fundo de vegetação saturada.

As figuras de Athena e o centauro ocupam toda a área da imagem e são o centro das atenções da platéia. O pallas é representado em uma pose um tanto educada e pouco natural, com a cabeça levemente inclinada e inclinada para o lado. Ela segura uma alabarda enorme, mais alta que sua altura, sua cabeça está decorada com uma grinalda exuberante e arejada de vegetação. Sua roupa é como se fosse tecida com galhos verdes, tem um rico acabamento floral e é coberta por grandes dobras de uma ampla capa verde escura por cima. Nos pés da deusa estão as sandálias altas originais de cor amarelo ocre, com os dedos abertos.

A parte "cavalo" do centauro é um animal poderoso e musculoso, de cor louro, e a metade humana é um torso nu de um jovem barbudo. Ele está armado com um arco grande e, nas costas, uma aljava cheia de flechas, mas obedientemente se curva sob a mão imperiosa da deusa Pallas. A civilização triunfa sobre a selvageria.


Assista o vídeo: O CÓDIGO SECRETO Das ARTES, O Nascimento de Vênus. (Setembro 2021).